terça-feira, 1 de junho de 2010

Para a Ísis

Recordo-me como se fosse hoje... a primeira vez que entraste naquela que seria a tua casa. Eu, na altura com 10 anos de idade enchi-me de alegria. A minha querida mamã tinha-me feito a vontade. Uma cadelinha. Cocker Spaniel. De uma cor não muito vista. Preta e branca. Linda. Pequenina. Enérgica. Cheia de VIDA! Os primeiros dias não foram fáceis. Nem para ti, nem para nós. Tinhas saído de perto da tua mamã para vires preencher o nosso lar. Aquele onde serias feliz. Onde fizémos tudo por tudo para que fizesses parte da nossa família. Muitos não compreenderão o que estou a dizer. Só quem tem animais (e gosta deles como se de um ente querido se tratasse) é que sabe do que falo. Para quê receber-te na nossa casa se fosse para te tratar mal? Não. Nas primeiras noites arranjámos-te um rádio que tocava toda a noite só para que não te sentisses sozinha. Eu, arranjei-te um peluche (um Panda enorme, maior que tu) para te fazer companhia. Assim tu dormias. Assim não choravas. E assim te foste habituando às tuas novas rotinas. A nós. Ias de férias connosco. Andavas de carro e era uma loucura enquanto este não arrancava. A praia... ah a praia... que saudades ver-te minha pequena foquinha preta. De foçinhito de fora de água. Tirar-te de lá era díficil... pelo menos enquanto lá estivesse um de nós os três. Tinhas de nos salvar. Daí só saíres quando nós também o fizéssemos. Muitas noites dormiste na minha cama. Na dos donos grandes não tinhas permissão. Eu deixava. Aquecias-me os pés. Ressonavas. Muito. Os anos passaram e eu também fui crescendo. Nos meus passeios contigo pela rua despertei o interesse daquele que é hoje o meu marido e pai da Nôno. Que tu tanto gostavas, mas não o demonstravas facilmente. Mas eu sei que tu sabias que a Nôno também era tua um bocadinho. Ela sim... gostava de ti. Da "Jíjis" como ela te chamava. E dava-te beijinhos e abraçinhos. E muitas festinhas. O Luís (meu marido) deixava-te bolinhos, queijo, e outras coisas que tais na porta de casa dele enquanto eu subia contigo no elevador à noitinha (eramos vizinhos). Quando ele se mudou, continuaste a ir durante umas semanas à procura dos miminhos que ele te deixava... mas já nao estava lá nada. Gostavas dele. Eu adorava-te. A dona grande também....mas de quem mais gostavas era do dono. Esse detinha a tua predilecção. E assim foi até há duas semanas. Altura em que o cancro te venceu. Não foi preciso tomar a díficil decisão de te mandar abater. A tua hora tinha chegado. Dia 20. 00h18. O dia parecia estar a adivinhar um desfecho daqueles. Tal como me contou a tua dona grande. Eu já não assisti. E ainda bem. Não me queria despedir de ti. Foste morrer ao quarto dos donos... morreste ao lado deles. Ainda tiveste direito a receber os últimos miminhos deles. Foste feliz, tenho a certeza. Hoje farias 15 anos. No dia da criança. Não os chegaste a completar. Resta-nos a saudade que sentimos de ti.

25 comentários:

Mãe e Pai Borboleta... disse...

Que lindo post...Uma verdadeira homenagem!!! Mexeu comigo porque ja passei pelo mesmo, mas era um gato...

É lindo te lembrares de todos os pormenores, detalhes...lindo...

Beijinhos grandes

Mara disse...

Fizeste-me chorar logo de manhã... lamento muito... E como te percebo... gosto dos meus cães como membros da família. E é isso mesmo que eles são, parte da nossa família.
Beijinhos grandes

Patrícia Teodoro disse...

Sei bem do que falas!!!

Maria disse...

Os animais são muito importantes para nós, e a tua Isís estee presente na parte mais importante da tua vida. Não imagino, não posso imaginar a tua tristeza...Um abraço muito, muito apertadinho para ti nesta hora de dor...

src disse...

:(

beijinho

Ana disse...

:(

Cláudia - a mama Galinha disse...

Passei essa vossa dor há bem pouco tempo amiga, foram 17 longos anos, mas bons anos...
é um animal, mas para quem sabe é um membro da familia, dói tanto como se fosse um ser humano.
Não sofreu...sofreu, mas não a sua hora foi calminha, como quando aconteceu com o nosso Tatu!
beijos amiga

Mami disse...

Embora não haja um único dia em que não sinta a falta da Ísis, este teu post veio avivar-me a recordação! És tramada, chorei de novo quase tanto como naquele dia em que parecíamos os dois duas crianças a chorar a noite toda porque tínhamos perdido a nossa "cãozinha".
Não foi fácil vê-la morrer, não está a ser fácil não a ter mais connosco.
Mami

Marlene e Simão disse...

Compreendo a dor da perda! Eles são parte de nós.
Um grande beijo!

Sofia disse...

:(
Estou aqui de lágrimas a cairem...Sei bem o que é perder um amigo...
Um beijo muito grande para ti...

Caty disse...

e uma pena, e com isto fizes-te-me chorar que nem uma perdida, tenho uma cadelinha e ja lhe deu 2 ataques, e uma coisa horrivel.
Nem quero pensar como sera quando chegar a sua hora nem como ira ser a reacçao da pequena, beijos

mamã da princesa disse...

Sei do que falas... conheço essas perda, com a diferença que no nosso caso tivemos de a mandar abater... foi muito dolorosa para todos, inclusivé para ela!
Mas foi melhor assim... deixou de sofrer... e foi tão dificil...

Beijinhos grandes e fica a consolação que foi feliz.

Ana Princesa disse...

Amiga, chorei muito a ler o que escreveste.
Sei bem a dor que é perder os nossos grandes amigos. Maior fidelidade não existe.
Força
beijinho grande!
**

Slimiteca disse...

Emocionei-me com as tuas palavras...realmente so quem tém um "irmao" desses é que percebe a dor que sentes..Tambem já passei pelo mesmo. Um beijinho grande e onde quer que a Ísis esteja está melhor do que aqui em sofrimento.

Olga disse...

Ohhhh!Tadinha!Também já tive uma experiência parecida :( beijokas

Cátia disse...

linda como te compreendo!!
Beijinhos

Um pedaço de azul... um BloGui diferente disse...

:-) Sorrio porque é belo.

Quero dizer-te que nunca esqueço este canto e insisto que nos faltem falta os vossos posts diários. Mesmo assim, estão sempre presentes... o trabalho deve encher-te os dias e isso é bom... é bom saber-vos bem...
Um beijo grande e muita força,

Sophie Ribas disse...

Olá, só hoje descobri este maravilhoso blog...
Andava de blog em blog e encontrei este, que apartir de agora será leitura obrigatória e com satisfação.
Tenho um sobrinho de 6 meses e foi bom ler aqui coisinhas para dele cuidar.
Infelizmente ele caiu da cama esta semana... Foi para o hospital... Ele está bem.

Espero que gostes tanto do meu cantinho como eu do teu (sim li-o desde início, toda a tardinha =D).

Um beijinho
Sophie

Patricia Charleaux disse...

qto tempo,como a Leonor está grande,tem selinho pra vc no meu blog ,passa lá pra pegar e participa da nossa promoção!!Bjs

Joaninha disse...

Parabéns!
Muito bem escrito, transmite cada sentimento!
=')

disse...

palavrinhas tao emocionantes,texto giro...
foi bom partilhares connosco.a isis foi feliz,é certo.

um beijinho.

Joanita disse...

Sei bem o que sentes, perdi o meu Leonardo à cerca de 5 anos e nunca cão algum o irá substituir, foi o animal mais especial que já tive e nunca o irei esquecer :*

disse...

Passei aqui hoje pela primeira vez...li o texto do princípio ao fim...e emocionei-me, fizeste-me chorar...
Qdo se tem um animal é para ser bem tratado mas infelizmente nem todos têm a sorte que teve a vossa Ísis, de certeza que ela foi feliz durante a vida e sentiu-se acompanhada na hora da partida.

Um beijinho

Rute disse...

Sinto muito pela tua perda, compreendo-te bem, realmente só quem os tem sabe o que é perder um caopanheiro que faz parte da família.
Beijinhos grandes

Anônimo disse...

Olá querida, sinto muito... já sigo o teu blog há imenso tempo, mas só agora é que resolvi deixar um comentário...
Já não postas à algum tempo. espero que estejam bem...
beijinhos
mamacoelhita.blogs.sapo.pt
tenho o meu blog privado pelo que poderas não conseguir entrar...
Já agora sabes me explicar como faço para te adicionar para continuar a seguir-vos? tenho outra mamã do blogspot que gostava de adicionar mas não sei...
beijinhos à Nonô.
cláudia coelho